Hoje na História:25 de novembro de 1970 – Yukio Mishima se mata em protesto ao pacifismo japonês


A excentricidade do escritor japonês Yukio Mishima , de 46 anos, valeu-lhe várias vezes a indicação para o Prêmio Nobel de Literatura, mas no dia 25 de novembro chegou ao extremo ao levar-lhe a vida.
Com quatro correligionários de extrema-direita, Mishima roteirizou e executou um plano cinematográfico: invadiu o Quartel-General da Defesa, em Tóquio, ocupou uma sacada de onde pronunciou um discurso inflamado contra a Constituição japonesa – que impedia o rearmamento do país – para dois mil atônitos soldados, e em seguida praticou o místico e proibido suicídio samurai, haraquiri.
“Deve ter ficado louco”, declarou o Premier Eisaku Sato, enquanto nas calçadas, diante das casas com televisores ligados, o povo via cenas do gabinete do Gneral Masuda – onde ocorreram os suicídios. No solo do quartel, transmitido pelas redes de TV, cabeças empapadas de sangue dos extremistas.
Veja mais no Jblog...

Nenhum comentário: