Segundo Reinado


O Segundo Reinado iniciou-se com a declaração de maioridade de Dom Pedro II, realizada no dia 23 de julho de 1840. Na época, o jovem imperador tinha apenas quinze anos de idade e só conseguiu ocupar o posto máximo do poder executivo nacional graças a um bem arquitetado golpe promovido pelos grupos políticos liberais. Até então, os conservadores (favoráveis à centralização política) dominaram o cenário político nacional.
Antes do novo regime monárquico, o período regencial foi caracterizado por uma política conservadora e autoritária que fomentou diversas revoltas no Brasil. As disputas políticas do período e o desfavor promovido em torno do autoritarismo vigente permitiram que a manobra em favor de Dom Pedro de Alcântara tivesse sustentabilidade política. Nos quarenta e nove anos subseqüentes o Brasil esteve na mão de seu último e mais longevo monarca.
Veja mais...

25 comentários:

São Tantas Histórias disse...

(I)Explique o Declínio do Segundo Reinado?
(II)Explique a QUESTÃO ABOLICIONISTA: RELIGIOSA,MILITAR no segundo Reinado?
(III)Descreva a Proclamação da República do ponto de vista da população?
(IV)Explique a Política Externa e as Campanhas Militares do então D.Pedro II?

karen 3 ano a_vilmar disse...

o declinio do segundo reinado,se deu devido ao desgaste do regime monarquico,devido a varios fatores que se obtiveram ao longo do reinado de dom pedro.mas um dos mais importantes foram a saida do ouro brasileiro e o desgaste elevado da economia,mas principalmente a insatisfaçao dos produtores.

vanessa rabelo disse...

(I)R:a monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime politico mais adaptados aos problemas da epoca.
(II)R:os senhores de escravo sentindo-se abandonado pela monarquia e sentiram-se obrigados a apoiar a republicana surgindo então republicanos de 13 de maio. Teve tambem varias leis que contribuiram para o fim da escravidao como por exemplo:lei do ventre livre,Lei dos Sexagenários e lei aurea.
Na Questão religiosa consistiu num comflito entre dois bispos D. Vital e D. Macedo Costa que queriam aplicar no pais a determinaçao papais que nao haviam haviam obtido a comprovaçao do imperador.
Na questão MilitarDurante o Império havia sido aprovado o projeto Motepio, pelo qual as famílias dos militares mortos ou mutilados na Guerra do Paraguai recebiam um pensão. A guerra terminara em 1870 e, em 1883 o montepio ainda não estava pago. Os militares encarregaram então o tenente-coronel Sena Madureira de defender os seus direitos. Este, depois de se pronunciar pela imprensa, atacando o projeto Montepio, foi punido. A partir de então, os militares ficaram proibidos de dar declarações à imprensa sem prévia autorização imperial.
(III)

INDY ANARA 3°ANO disse...

1-FOI UMA CRISE DO IMPERIO QUE RESULTOU NA TRANSFORMAÇÕES PROCESSADA NA ECONOMIA E NA SOCIEDADE NO SECULO
XIX.PORQUE A MONARQUIA ELA PRECISAVA SER SUPERADA PARA DAR LUGAR PARA OUTROS REGIMES POLITICOS.

2-BOM A QUESTÃO ABOLICIOMISTA FOI AONDE OCORREU A LEI DOS ESCRAVOS QUE JA ERA PROIBIDOS TER PESSOAS NEGRAS FAZENDO A MÃO-DE-ABRA BARRATA OU SEJA ERA PROIBIDOS TER ESCRAVO FOI IA SURGIU A ABOLICIONISTA.RELIGIOSA FOI A ONDE DOIS BISPO PORQUE ELES QUERIA IMPOR UMA LEI QUE A RELIGIÃO FAZIA PARTE DE UMA SÓ PARTIDO PORQUE FICOU DO LADO DAO IMPERIO E OOUTRO FICOU DO LADO DOS POVOS AI QUE SURGIU ABRIGA ENTRE A RELIGIOSA.
MILITAR BOM A DOS MILITARES ERA QUE AQUELES QUE ERA MORTOS NA GUERRA AS FAMILIAS ERA BENIFICIADA COM UMA PENSÃO ME TODOS ERA A FAVOR DISSO AI OS OUTROS FORAM ATRAS DE SEU DIRETOS PORQUE PARA UNS ALGO E PARA OUTRAS ERA DIFERENTE FOI AONDE OCORREU MAIS CONFLITOS.

fernando soares sério 3ºA disse...

1ºA crise do Império foi resultado das transformações processadas na economia e na sociedade, a partir do século XIX., somando-se conduziram importantes setores da sociedade a uma conclusão: a Monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptado aos problemas da época.

A crise do Império foi marcada por uma série de questões que desembocaram na Proclamação da República.

2º As principais leis que contribuíram para o fim da escravidão no Brasil foram: 1850, Lei Eusébio de Queiroz (extinguia o tráfico negreiro); 1871, Lei do Ventre Livre (os filhos de escravos seriam considerados livres, devendo aos proprietários criá-los até os oito anos); 1885, Lei dos Sexagenários (quando o escravo completasse 65 anos eles estariam libertos); e 13 de Maio de 1888, Lei Áurea (abolição total da escravidão, assinada pela princesa Isabel, que substituía provisoriamente o Imperador).

. A questão religiosa consistiu num conflito entre dois bispos, D. Vital e D. Macedo Costa, que insistiram em aplicar no país determinações papais que não haviam obtido a aprovação (placet) do Imperador, como determinava a constituição. Esse poder de veto imperial chamava-se beneplácito. Processados e condenados, o assunto serviu para afastar a igreja do trono.

Durante o Império havia sido aprovado o projeto Motepio, pelo qual as famílias dos militares mortos ou mutilados na Guerra do Paraguai recebiam um pensão. A guerra terminara em 1870 e, em 1883 o montepio ainda não estava pago.

vanildo marques disse...

1-foi a crise no imperio que resultou nas transformação na economia e na sociedade a partir do sec. XIX : a monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptados aos problemas da época
II-QUESTÃO ABOLICIONISTA:
Os senhores de escravos não se conformaram com a abolição da escravidão e com o fato de não terem sidos indenizados. Sentindo-se abandonados pela Monarquia passaram a apoiar a causa republicana, surgindo os chamados Republicanos de 13 de Maio (chamada assim por causa da data em que a Lei Áurea foi assinada). As principais leis que contribuíram para o fim da escravidão no Brasil foram: 1850, Lei Eusébio de Queiroz (extinguia o tráfico negreiro); 1871, Lei do Ventre Livre (os filhos de escravos seriam considerados livres, devendo aos proprietários criá-los até os oito anos); 1885, Lei dos Sexagenários (quando o escravo completasse 65 anos eles estariam libertos); e 13 de Maio de 1888, Lei Áurea (abolição total da escravidão, assinada pela princesa Isabel, que substituía provisoriamente o Imperador).
QUESTÃO RELIGIOSA:
A questão religiosa consistiu num conflito entre dois bispos, D. Vital e D. Macedo Costa, que insistiram em aplicar no país determinações papais que não haviam obtido a aprovação (placet) do Imperador, como determinava a constituição. Esse poder de veto imperial chamava-se beneplácito. Processados e condenados, o assunto serviu para afastar a igreja do trono.
QUESTÃO MILITAR:
Durante o Império havia sido aprovado o projeto Motepio, pelo qual as famílias dos militares mortos ou mutilados na Guerra do Paraguai recebiam um pensão. A guerra terminara em 1870 e, em 1883 o montepio ainda não estava pago. Os militares encarregaram então o tenente-coronel Sena Madureira de defender os seus direitos. Este, depois de se pronunciar pela imprensa, atacando o projeto Montepio, foi punido. A partir de então, os militares ficaram proibidos de dar declarações à imprensa sem prévia autorização imperial.
III-

Diego Sfirunightteens disse...

(I)R: O segundo reinado foi afetado devido as grandes exorbações sobre inevitáveis declinios extraeconômicos,por sua vez, foi consequencia dos atos do Imperador da época, o nosso velho conhecido D. Pedro II.
(II)R:O Brasil estava preso sobre fois fatos importantes para a economia do país na época, são eles: a dependência dos escravos como mão-de-obra e as relações econômicas com a Inglaterra. No entanto, a Inglaterra pressionava o Brasil para acabar com a escravidão, assim o Brasil teve que Buscar fontes alternativas para que não se alterassem mudanças econômicas.
SObre a questão religiosa o Brasil era ectremamente católico, aliás, até os dias atuais.
Na época o Brasil vivia uma fase de conflitos e guerra, então é evidente que o militarismo possuia um forte poderio economico, porém quem usufruia das bondades miltares eram apenas a classe alta, os escravos e trabalhadores livres eram quem realmente enfrentava os problemas na guerra.
(III)R:A população não está preparada para uma visão critica sobre os problemas sociais,e é isso que o governo quer, para que assim tenha mais facilidade que exercer um sistema de demagogia. O que se entende pela visão generalisada é que, D. Pedro II foi um salvador da pátria, conseguindo que o pais não fosse comandado por rebeldes. A idéia de D. João II foi conquistada com sucesso, ja que o povo até hoje aceita o conceito de que a liberdade surgiu com a independência de 7 de setembro de 1822.
(IV)

Paula Caroline 3°A disse...

I)o declineo do segundo reinado ocorreu devido a crise economica que aconteceu no seculo XIX.pois a monarquia nao conseguuiam acompanhar as mudanças decorrentes na epoca e por isso precisavam de outro regime politico no qual melhor se adaptava aos poblemas da epoca.

ademirromao1@hotmail.com disse...

(I)A crise do Império foi resultado das transformações processadas na economia e na sociedade, a partir do século XIX., somando-se conduziram importantes setores da sociedade a uma conclusão: a Monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptado aos problemas da época.

A crise do Império foi marcada por uma série de questões que desembocaram na Proclamação da República.
(II)Os senhores de escravos não se conformaram com a abolição da escravidão e com o fato de não terem sidos indenizados. Sentindo-se abandonados pela Monarquia passaram a apoiar a causa republicana, surgindo os chamados Republicanos de 13 de Maio (chamada assim por causa da data em que a Lei Áurea foi assinada). As principais leis que contribuíram para o fim da escravidão no Brasil foram: 1850, Lei Eusébio de Queiroz (extinguia o tráfico negreiro); 1871, Lei do Ventre Livre (os filhos de escravos seriam considerados livres, devendo aos proprietários criá-los até os oito anos); 1885, Lei dos Sexagenários (quando o escravo completasse 65 anos eles estariam libertos); e 13 de Maio de 1888, Lei Áurea (abolição total da escravidão, assinada pela princesa Isabel, que substituía provisoriamente o Imperador).A questão religiosa consistiu num conflito entre dois bispos, D. Vital e D. Macedo Costa, que insistiram em aplicar no país determinações papais que não haviam obtido a aprovação (placet) do Imperador, como determinava a constituição. Esse poder de veto imperial chamava-se beneplácito. Processados e condenados, o assunto serviu para afastar a igreja do trono. Durante o Império havia sido aprovado o projeto Motepio, pelo qual as famílias dos militares mortos ou mutilados na Guerra do Paraguai recebiam um pensão. A guerra terminara em 1870 e, em 1883 o montepio ainda não estava pago. Os militares encarregaram então o tenente-coronel Sena Madureira de defender os seus direitos. Este, depois de se pronunciar pela imprensa, atacando o projeto Montepio, foi punido. A partir de então, os militares ficaram proibidos de dar declarações à imprensa sem prévia autorização imperial.
(III)O Governo Imperial, percebendo, embora tardiamente, a difícil situação em que se encontrava com o isolamento da Monarquia, apresentou à Câmara dos Deputados um programa de reformas políticas, do qual constavam: liberdade de fé religiosa; liberdade de ensino e seu aperfeiçoamento; autonomia das Províncias; mandato temporário dos senadores.

Entretanto, as reformas chegaram tarde demais. No dia 15 de novembro de 18889, o Marechal Deodoro da Fonseca assumiu o comando das tropas revoltadas, ocupando o Quartel General do Rio de Janeiro. Na noite de do dia 15, constituiu-se o Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil. D. Pedro II, que estava em Petrópolis durante esses acontecimentos, recebeu, no dia seguinte, um respeitoso documento do novo Governo, solicitando que ele se retirasse do País, juntamente com sua família.

Proclamada a República, no mesmo dia 15 de novembro de 1889, forma-se um governo provisório, sendo o chefe do governo Marechal Deodoro da Fonseca.
(IV)Consolidaram-se, também, os dois partidos políticos, Liberal e Conservador, ambos representantes dos proprietários rurais. Nossa política externa passou a ter prioridade, orientando-se no sentido de evitar o fortalecimento da Argentina, Uruguai e Paraguai, mantendo-se o equilíbrio sul-americano. O regime monárquico novamente consolidou-se com a ascensão de D. Pedro II. A figura de D. Pedro II foi o eixo principal desse período. O prestígio internacional que o Brasil alcançou nessa época, e seu progressivo desenvolvimento social e econômico foram em grande parte devidos à firmeza com que D. Pedro II conduziu os destinos de nosso país.

Camila Rith - 3º ano E.M disse...

I- O declínio do segundo reinado se deu, por conta de que as pessoas se deram conta de que o regime Monárquico deveria ser repensado e abril espaço para um nomo modelo de economia, que melhor se adaptasse aos problemas da época.


II- Princesa Isabel que substituía provisoriamente o Imperador, contribuiu para a total abolição da escravatura após assinar a Lei Áurea, isso fez com que os senhores de escravos se "revoltassem" contra a Monarquia, por não terem sido indenizados.
D. Vital e D. Macedo Costa, eram dois bispos que insistiram em implantar no Brasil determinações papais, porém não obtiveram êxito nessa insistência, sendo assim processados e condenados, por fim isso levou ao afastamento da igreja do trono.Esse poder de veto imperial chamava-se beneplácito.
O governo terminou através do chamado projeto Montepio, que fosse paga pelo país perdedor, uma indenização às famílias dos militares mortos na guerra entre Brasil e Paraguai em 1870, porém em 1883 este ainda não havia se cumprido. Houve um grande descaso da parte de alguns políticos e ministros conservadores da época, levou à punição de importantes oficiais, entre eles: Sena Madureira e o coronel Ernesto Augusto da Cunha Matos.

Jussara Martins - 21 disse...

1-Foi o resultado das transformacoes ocorridas na economia do seculo XIX. Conclusao a monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime politico.
2-Os senhores de escravos nao concordavan com a abolicao dos escravos. abandonados pela monarquia passaram a apoiar a Monarquia,chamados de republicanos de 13 de Maio. 1850 lei Euzebio de Queiroz.1871 lei do ventre livre.1885 lei dos sexagenarios.1888lei Aurea.
Questao religiosa; conflito entre dois bispos porque nao havim obtido aprovaçao do iperador.processados e condenados o assunto serviu para afastar a igreja do trono.
Questoes militares; durante o imperio havia

elen disse...

1-foi o resultado das mundanca ocrrida na economiano sec XIX.A MONARQUIA presizava ser superada para dar lugar a um outro regime politico..

Thaís 3°ano disse...

-O declínio do segundo reinado foi resultado dastransformações processadas na economia e na sociedade a partir do século XIX,quando entrou em decadência a produção do ouro e começaram a valorizar a produção do café. Que marcou uma série de questões que desembocaram na Proclamação da Repulblica.

Patricia Miguel 3° ano disse...

1-O declínio do segundo reinado foi transformações processadas na economia e na sociedade, a partir do século XIX.A Monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptado aos problemas da época.
2-

Adeilza 3ano disse...

(I)No século XIX houve transformações na economia e na sociedade,e que o regime
monarquico deveria ser substituído por um outro regime político mais atual para a época,e questionavam sobre a Proclamação da República.

(II)

luiz henrique da silva souza 3°a disse...

1ºO declinio do segundo reinado foi por causa das transformações na economia e da sociedade que ocorreram naquela epoca por exemplo a queda das exportações,e do exodo rural podendo se concluir que precisaria de um regime mais efeciente para a época outras questões tambem

Juliana Luzia disse...

(I)As transformações na economia,e na sociedade, apartir do século XIX,provocaram a crise do império.
A Monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político, mas adaptado aos problemas da época.
A crise do império foi marcada por uma série de questões que surgiram na Pclamação da Repúlblica.

karen 3 ano a_vilmar disse...

2-a questao abolicionista podemos explicar de uma maneira simples,os senhores de escravos na época eram os grandes proprietarios de terras eles exploravam a mao de obra escrava para sua produçao.com a aboliçao dela eles se sentiram prejudicados pois tiveram que libertar seus escravos e nao tiveram nenhum ressarsimento.e com tudo tiveram que contratar mao de obra para produzirem.para tentar se ''vingar''passaram a investir e apoiar movimentos republicanos,ou seja contra a monarquia.
a questao religiosa deu-se com o confito entre dois bispos d.vital e d.marcelo.vital queria a implantação do beneplácito que era uma constituição que era vetada pelo império d.marcelo porem era contra essa constituiçao e a favor do imperador.entao havia este impasse entre os dois o que afastou a religiao do poder por um tempo.
nesta época o brasil possuia seu propri exercito abastecido bélicamente pela inglaterra.nesta época o país passa pela gerra do paraguai onde saiu vencedora mas com um déficit muito grande tanto no numero ce mortos quanto em questoes economicas .apos este episodio aprovasse um projeto montepio que vissava o pagamento de indenizaçoes a familias dos mortos.mas este projeto ficou mais no papel do que foi consolidado

leticia gabrielly 3º ano disse...

1- A crise do império resultou um processo de transformação na economia e na sociedade chegando a uma conclusão de que a monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptado aos problemas da época.

2- Questão ABOLICIONISTA:OS senhores de escravos não se conformaram com a abolição da escravatura e por não terem sido indenizados.sentindo-se abandonados pela monarquia, passaram a apoiar a causa republicana,surgindo asssim os republicanos 13 de maio. chamada assim por causa da assinatura da Lei Áurea.as principais leis que contribuiram para o fim da escravidão são: Lei Eusébio de Queiroz que acabava com o tráfico negreiro.Lei do Ventre Livre : os filhos dos escravos eram livres tendo com responsabilidade os senhores criá-los até aos oito anos de idade. Lei Áurea : abolição total da escravatura assinada pela princesa Isabel,que assim substituia o imperador provisóriamente.
Questão Religiosa: foi um conflito entre doi bispos D. Vital e D. Macedo Costa. esses bispos queriam aplicar detarminações papais que nao tinham sido aprovadas pelo imperador.o poder de veto imperial chamava-se beneplácito, pois com isso os bispos foram processados e condenados.a igreja foi afastada do trono.
Questão militar:durante a guerra do Paraguai foi criado o projeto Motepio que dava uma pensão as familias militares mortos ou mutilados na guerra. a guerra terminava no ano de 1870 e no ano de 1883 o Motepio ainda nao tinha sido pago.Os militares encarregaram então o tenente-coronel Sena Madureira de defender os seus direitos. Este, depois de se pronunciar pela imprensa, atacando o projeto Montepio, foi punido. A partir de então, os militares ficaram proibidos de dar declarações à imprensa sem prévia autorização imperial. o descaso que alguns políticos e ministros tinham pelo exercito levava a punição que era classifica como indisciplina militar. as punições que eram conferidas pelo tenente-coronel Sena Madureira e ao coronel Ernesto Augusto da Cunha Matos. que gerou uma grande revolta em importantes chefes de Exército, como o Marechal Deodoro da Fonseca.
3-O Governo Imperial, percebendo, embora tardiamente, a difícil situação em que se encontrava com o isolamento da Monarquia, apresentou à Câmara dos Deputados um programa de reformas políticas, do qual constavam: liberdade de fé religiosa; liberdade de ensino e seu aperfeiçoamento; autonomia das Províncias; mandato temporário dos senadores.

Entretanto, as reformas chegaram tarde demais. No dia 15 de novembro de 18889, o Marechal Deodoro da Fonseca assumiu o comando das tropas revoltadas, ocupando o Quartel General do Rio de Janeiro. Na noite de do dia 15, constituiu-se o Governo Provisório da República dos Estados Unidos do Brasil. D. Pedro II, que estava em Petrópolis durante esses acontecimentos, recebeu, no dia seguinte, um respeitoso documento do novo Governo, solicitando que ele se retirasse do País, juntamente com sua família.

Proclamada a República, no mesmo dia 15 de novembro de 1889, forma-se um governo provisório, sendo o chefe do governo Marechal Deodoro da Fonseca.
4-foram consolidados os partidos Liberal e Conservador que eram representados pelos trabalhadores rurais. assim nossa politica externa ganhava mais força e prioridade e tinha como orientação para evitar o fortalecimento de Argentina, Uruguai e Paraguai mantendo o equlibrio sul-americano. fim

michele fernandes 3º ano disse...

1- A crise no segundo reinado foi resultado das trasformações da economia e da sociedade.Somando-as conduziram-as a importantes setores da sociedade a uma onclusão:a Monarquia precisava ser superada para dar lugar a outro regime político.

2- QUESTÃO ABOLICIONISTA:
Os senhores de escravos não se conformaram com a abolição da escravidão e com o fato de não terem sidos indenizados.A abolição da escravatura foi assinada pela proncesa Isabel no dia 13 de maio de 1888.
Os ex-senhores de escravos sentindo-se abandonados passaram a apoiar aausa republicana, surgindo assim os chamados Republicanos de Treze de Maio.As principais leis que contribuiram para o fim da escravidão no Brasil fora:Lei Euzébio de Queiróz (1850),Lei do Ventre Livre (1871),Lei dos Sexagenários (1885) e por fim a Lei Áurea (1888).
QUESTÃO RELIGIOSA:
A questão religiosa consistiu num conflito entre dois bispos,que resolveram aplicar determinações papais que não haviam obtido aprovação do imperador.Processados e condenados,serviram para afastar a igreja do trono.
QUESTÃO MILITAR:
Durante o Império havia sido aprovado o projeto Motepio,onde as famílias dos militares mortos ou mutilados na Guerra do Paraguai recebiam um pensão.A guerra terminou em 1870 e em 1883 o montepio ainda não estava pago.Os militares encarregaram então o tenente-coronel Sena Madureira,após se pronunciar pela imprensa,atacando o projeto Montepio, foi punido.A partir de então os militares ficaram proibidos de ar declarações à imprensa.

3- O governo imperial percebeu a difícil situação em que se encontrava com o isolamento da Monarquia,apresentou à Câmara dos Deputados um programa de reformas políticas,no qual constavam: liberdade de fé religiosa; liberdade de ensino e seu aperfeiçoamento; autonomia das Províncias; mandato temporário dos senadores.Proclamaou-se a República, no dia 15 de novembro de 1889,formou-se um governo provisório, sendo o chefe do governo Marechal Deodoro da Fonseca.

4- Consolidaram dois partidos políticos,liberal e conservador,ambos representantes dos proprietários rurais. Nossa política externa passou a ter prioridade, orientando-se no sentido de evitar o fortalecimento da Argentina,Uruguai e Paraguai, mantendo-se o equilíbrio sul-americano.

Edson disse...

(I) As medidas as quais a monarquia estava adotando desagradava suas principais bases de sustentação, como os grandes latifundiários possuidores de mão-de-obra escrava, o clero e os militares.
(II) QUESTÃO ABOLICIONISTA: A abolição da escravatura prejudicou os negócios dos grandes cafeicultores que tiveram que optar pelo incentivo a entrada de mão-de-obra imigrante, que trabalhariam "remuneradamente".
QUESTÃO RELIGIOSA: A interferência do imperador na permissão para que os bispos brasileiros aplicassem as determinações papais, e que resultaram na condenação de dois bispos.
QUESTÃO MILITAR: As rígidas punições aos militares que eram considerados indisciplinados ao exigirem seus direitos ao Montepio na imprensa.
(III) A proclamação teve o envolvimento apenas de pessoas influentes politico-economicamente, sendo a população humilde apenas expectadora de todas as transformações no sistema de governo
(IV)D. Pedro II, sob grande apoio da Inglaterra, autorizou as tropas a promoverem ações bélicas como à tomada de posições estratégicas em rios e a Guerra do Paraguai que fizeram ao final das batalhas um acréscimo em territórios que favoreceu a economia brasileira e devastou a Paraguaia, que na época anterior a guerra estava em desenvolvimento.

Edson Cicero de Souza 3º ano A - E.E. Vilmar Vieira Matos disse...

(I) As medidas as quais a monarquia estava adotando desagradava suas principais bases de sustentação, como os grandes latifundiários possuidores de mão-de-obra escrava, o clero e os militares.
(II) QUESTÃO ABOLICIONISTA: A abolição da escravatura prejudicou os negócios dos grandes cafeicultores que tiveram que optar pelo incentivo a entrada de mão-de-obra imigrante, que trabalhariam "remuneradamente".
QUESTÃO RELIGIOSA: A interferência do imperador na permissão para que os bispos brasileiros aplicassem as determinações papais, e que resultaram na condenação de dois bispos.
QUESTÃO MILITAR: As rígidas punições aos militares que eram considerados indisciplinados ao exigirem seus direitos ao Montepio na imprensa.
(III) A proclamação teve o envolvimento apenas de pessoas influentes politico-economicamente, sendo a população humilde apenas expectadora de todas as transformações no sistema de governo
(IV)D. Pedro II, sob grande apoio da Inglaterra, autorizou as tropas a promoverem ações bélicas como à tomada de posições estratégicas em rios e a Guerra do Paraguai que fizeram ao final das batalhas um acréscimo em territórios que favoreceu a economia brasileira e devastou a Paraguaia, que na época anterior a guerra estava em desenvolvimento.

Isabella Silveira disse...

- Isabella Silveira 3º A Vilmar


(I)- A crise do Império foi resultado das transformações processadas na economia e na sociedade, a partir do século XIX., somando-se conduziram importantes setores da sociedade a uma conclusão: a Monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptado aos problemas da época.

A crise do Império foi marcada por uma série de questões que desembocaram na Proclamação da República.

(II)- QUESTÃO ABOLICIONISTA:

Os senhores de escravos não se conformaram com a abolição da escravidão e com o fato de não terem sidos indenizados. Sentindo-se abandonados pela Monarquia passaram a apoiar a causa republicana, surgindo os chamados Republicanos de 13 de Maio (chamada assim por causa da data em que a Lei Áurea foi assinada). As principais leis que contribuíram para o fim da escravidão no Brasil foram: 1850, Lei Eusébio de Queiroz (extinguia o tráfico negreiro); 1871, Lei do Ventre Livre (os filhos de escravos seriam considerados livres, devendo aos proprietários criá-los até os oito anos); 1885, Lei dos Sexagenários (quando o escravo completasse 65 anos eles estariam libertos); e 13 de Maio de 1888, Lei Áurea (abolição total da escravidão, assinada pela princesa Isabel, que substituía provisoriamente o Imperador).

*

QUESTÃO RELIGIOSA:

A questão religiosa consistiu num conflito entre dois bispos, D. Vital e D. Macedo Costa, que insistiram em aplicar no país determinações papais que não haviam obtido a aprovação (placet) do Imperador, como determinava a constituição. Esse poder de veto imperial chamava-se beneplácito. Processados e condenados, o assunto serviu para afastar a igreja do trono.


Continua no próximo comentario

Isabella Silveira disse...

- Continuação, Isabella Silveira 3º A VIlmar

QUESTÃO MILITAR:

Durante o Império havia sido aprovado o projeto Motepio, pelo qual as famílias dos militares mortos ou mutilados na Guerra do Paraguai recebiam um pensão. A guerra terminara em 1870 e, em 1883 o montepio ainda não estava pago. Os militares encarregaram então o tenente-coronel Sena Madureira de defender os seus direitos. Este, depois de se pronunciar pela imprensa, atacando o projeto Montepio, foi punido. A partir de então, os militares ficaram proibidos de dar declarações à imprensa sem prévia autorização imperial.

O descaso que alguns políticos e ministros conservadores tinham pelo Exército levava-os a punir elevados oficiais, por motivos qualificados como indisciplina militar. As punições disciplinares conferidas ao tenente-coronel Sena Madureira e ao coronel Ernesto Augusto da Cunha Matos, provocou revolta em importantes chefes de Exército, como o Marechal Deodoro da Fonseca.

(III)-O Governo Imperial, percebendo, embora tardiamente, a difícil situação em que se encontrava com o isolamento da Monarquia, apresentou à Câmara dos Deputados um programa de reformas políticas, do qual constavam: liberdade de fé religiosa; liberdade de ensino e seu aperfeiçoamento; autonomia das Províncias; mandato temporário dos senadores.

(IV)-O regime monárquico novamente consolidou-se com a ascensão de D. Pedro II. A figura de D. Pedro II foi o eixo principal desse período. O prestígio internacional que o Brasil alcançou nessa época, e seu progressivo desenvolvimento social e econômico foram em grande parte devidos à firmeza com que D. Pedro II conduziu os destinos de nosso país.
Consolidaram-se, também, os dois partidos políticos, Liberal e Conservador, ambos representantes dos proprietários rurais. Nossa política externa passou a ter prioridade, orientando-se no sentido de evitar o fortalecimento da Argentina, Uruguai e Paraguai, mantendo-se o equilíbrio sul-americano.

O resultado foi a Guerra do Paraguai, pois o Brasil queria manter sua hegemonia política,"D. Pedro II".A Argentina e o Uruguai tinham interesses econômicos.

O Brasil tinha interesse em controlar a navegação por esses rios, que era o caminho mais fácil para o Mato Grosso. A Argentina pretendia que o Paraguai voltasse a fazer parte do seu território. A Inglaterra via na Guerra uma oportunidade de abrir o mercado paraguaio aos seus produtos. Juntando-se aos interesses, a Inglaterra emprestou dinheiro, a juros altos, e o Brasil, a Argentina e Uruguai entraram com soldados.

Com o fim da Guerra, o Império brasileiro estava com sua economia fortemente abalada e o exército passou a assumir posições contrárias à sociedade escravista.

Anônimo disse...

Luiz Henrique da silva 3°Vilmar
1°o declínio do 2°reinado foi por causa do desgaste do império no comando das transformações econômica e social ocorrida na época e também a falta de infidelidade de dom Pedro com os fazendeiro donos de escravos.

2° Questão abolicionista; muitos senhores donos de escravo se sentido abandonado pela monarquia por não ter recebido indenizações do governo resolveram apoiar a republica
Questão Militar Um dos principais projetos criados criado neste tempo foi o motepio que guerreiros da guerra do Paraguai recebiam pensão tanto os feridos como os as famílias dos mortos entretanto apos o termino da guerra guase ninguém avia recebido o dinheiro.os guerreiros da guerra tinha como representante um coronel e a partir dai nunca mais pode dar entrevista na imprensa e muitos oficiais foram punidos
Questão religiosa
esta questão tinha o envolvimento de dois bispo que queriam determinações papais no pais entretanto o imperador negou o pedido afastando a igreja do trono

3°A população deve pensar que ouve intensas lutas contra o regime monarca onde o a republica venceu no final entretanto eles não conhecem a verdadeira historia onde Marechal Deodoro da Fonseca invadio o quartel no Rio e enviou uma carta "convidando que dom Pedro junto com sua família se retirasse do Pais".


4° Dom Pedro só arrumou uma força nacional que prestasse na guerra do Paraguai antes da guerra ele tinha um exercito pessoal conhecido como dragões da independência
Também neste tempo tinha dois partido os liberais(queria uma maior liberdade de comercio) e o moderador(não queria a republica)